branco.png

Organização

ConjPHN.png
2017_FCT_H_branco.png

Apoio

Nippon-Gases-Healthcare_branco.png

  Os efeitos da alteração 

  dos ambientes na 

  saúde humana 

  27 e 28 de Junho de 2019  

  Auditório 57 (Edifício Egas Moniz)  

  Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa  

Notícias

Foram submetidos nove projectos de doutoramento à Mostra Digital, uma iniciativa do ISAMB com o apoio da AstraZeneca. Os três melhores trabalhos serão distinguidos com um Prémio de Incentivo à Investigação ISAMB/AstraZeneca "Saúde & Ambientes".

Os últimos dados divulgados pela NASA e pela NOOA mostram que as temperaturas do planeta foram, em 2018, as quartas mais altas desde que há registos, confirmando assim uma inequívoca tendência de aquecimento global que se tem vindo a acentuar nos últimos 22 anos. Este aquecimento, que é muito provavelmente de natureza antropogénica, tem, por sua vez, efeitos múltiplos (ondas de calor, diminuição das calotes polares, ocorrência de eventos naturais extremos, perda de biodiversidade, diminuição das reservas de água potável, etc.), tanto em extensão quanto em duração, sobre os diversos ecossistemas do planeta, alguns deles absolutamente imprevisíveis não apenas no que diz respeito aos danos, mas sobretudo à sua reversibilidade ou mitigação.

Ao longo das recentes décadas, tem-se vindo a privilegiar quer o estudo científico quer a validação social e política das principais causas (nomeadamente, a queima de combustíveis fósseis, a desflorestação, a pecuária intensiva, etc.) que estão na base das alterações climáticas, as quais, por seu turno, provocam um aquecimento global do planeta por via da acumulação de gases com efeito de estufa.

Esta conferência, organizada pelo Instituto de Saúde Ambiental da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, pretende debruçar-se sobre o modo como estas alterações afectam ou podem vir a afectar os diferentes ambientes - tanto o clima como os ambientes ecológicos terrestres e aquáticos, tantos os ambientes sociais, virtuais e digitais como também os ambientes extracelulares ou a epigenética - que envolvem e, ao mesmo tempo, determinam a saúde das pessoas. Explorar multidisciplinarmente estes efeitos implica, naturalmente, imergir numa rede de fenómenos de grande intensidade e complexidade, sendo esse um exercício necessário para que se possa compreender mais e melhor os efeitos que a alteração dos ambientes pode ter sobre a saúde das pessoas. Somente desse modo se conseguirá informar e empoderar os diferentes actores sociais - profissionais de saúde, sistemas de saúde, políticos, legisladores, decisores, comunicadores, educadores, influenciadores, enfim, cidadãos -, capacitando-os assim para desenvolverem uma cultura de prevenção e de resiliência mais efectiva.

Filipe Duarte Santos

Keynote speaker

José Carlos Carvalho

AstraZeneca.png
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now